domingo, 11 de novembro de 2007

video

domingo, 4 de novembro de 2007

video

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Aquecimento global - Video

Oi pessoal! Este video vale a pena assistir. É o nosso futuro que está em jogo.

Aqui está a tradução do texto do video:

Sua atenção por favor. Obrigado por escolher o planeta Terra como seu veículo espacial. Nós esperamos que você aprecie as muitas características maravilhosas deste planeta que se move rapidamente pelo cosmo. Por favor, note que, em caso de completa inanição decorrente do aquecimento global, o assento de sua poltrona pode ser usado como um dispositivo de flutuação. Por favor, localizem e observem também as portas de saída de emergência do planeta. Como vocês podem ver, não existe nenhuma! Você ouviu bem? Não existem saídas de emergência!


video

terça-feira, 25 de setembro de 2007

REINO PLANTAE

REINO PLANTAE

- Caracterização

O Reino Plantae compreende seres eucariontes, pluricelulares, autotróficos, que realizam fotossíntese.

A exemplo dos animais, o organismo vegetal é constituído por células. Contudo, sua organização é bastante diferente. Se seus órgãos têm funções paralelas às dos sistemas animais, o mesmo não pode se dizer da sua estrutura. Em relação aos animais falamos em sistemas digestório, respiratório, reprodutor, etc.; no que diz respeito às plantas, tratamos de órgãos: a raiz, o caule, a folha, a flor, o fruto e a semente.

A classificação dos vegetais possui ligeiras diferenças em relação à classificação animal. Ao invés de usar o termo Filo, usa-se o termo Divisão.

As plantas são divididas em dois grandes grupos:

  • Criptógamas (kripto, escondido): plantas que possuem as estruturas produtoras de gametas pouco evidentes
  • Fanerógamas(phanero, evidente):possuem as estruturas produtoras de gametas bem visíveis.

- Os órgãos e suas funções

A raiz tem por função fixar a planta ao solo e retirar dele água e sais minerais, essenciais à vida vegetal. O caule mantém a planta ereta. Em seu interior encontram-se vasos condutores de seiva. Por seiva entende-se o líquido absorvido pelas raízes (seiva bruta) e as substâncias produzidas pela fotossíntese (seiva elaborada).

Há vegetais que não possuem vasos condutores (musgos). Nesse caso, a distribuição da seiva se faz de célula a célula. A maioria, porém, é dotada de vasos condutores.

Do caule partem ramos onde se prendem as folhas, levando a seiva bruta e trazendo a seiva elaborada. As folhas são, portanto, a parte dos vegetais onde ocorre a fotossíntese. A seiva elaborada por ela produzida é distribuída todas as partes do vegetal, garantindo a sua sobrevivência.

Nas folhas também acontecem os processos de respiração e transpiração vegetal.

Flores e sementes são órgãos que se relacionam com a reprodução vegetal.

- Criptógamas

As criptógamas podem ser divididas, com base na organização do corpo, em grupos menores:

1 - Briófitas

As briófitas são plantas de pequeno porte, sendo que na maioria não ultrapassa 20 cm de altura.
Vivem em ambientes úmidos e sombreados, uma vez que não são susceptíveis à dessecação.

As briófitas apresentam estruturas chamadas rizóides, caulóides e filóides que desempenham um papel semelhante ao da raiz, caule e folhas. No entanto, não têm vasos condutores de seiva; tanto a seiva elaborada quanto a bruta passam diretamente de uma célula para outra, através de suas paredes.

O grupo das briófitas tem os musgos como principal representante.

2 - Pteridófitas

As pteridófitas são as primeiras plantas a possuir vasos condutores de seiva. A existência dos vasos possibilitou às plantas a conquista definitiva do ambiente terrestre. Os vasos permitem o transporte rápido da água e sais minerais até as folhas e de seiva elaborada para as demais partes da planta.

Os principais representantes do grupo são as samambaias e as avencas.

Nas pteridófitas as folhas se desenrolam a partir do centro da planta.

A reprodução é feita por meio de esporos, que freqüentemente são produzidos em soros localizados na parte de baixo das folhas (são aqueles pontinhos alaranjados que vemos às vezes nas samambaias). Ocorre alternância de gerações, sendo o vegetal adulto produtor de esporos que, uma vez no chão, dão origem a uma plantinha parecida com um coração (prótalo) e que produz os gametas. Esses se unem e vão dar origem a uma nova planta.

- Fanerógamas

Nas fanerógamas os óvulos e o pólen são os gametas feminino e masculino, respectivamente.

Dentre as fanerógamas temos as Gimnospermas, que produzem estróbilos como estruturas reprodutoras, que são erradamente denominados flores; e as Angiospermas, que produzem flores.

Uma flor pode ser definida, de maneira ampla, como um “ramo” modificado e adaptado à reprodução. Sobre as folhas modificadas desse ramo é que se formam as estruturas reprodutivas das plantas fanerógamas.

A semente é uma estrutura que contém em seu interior um pequeno embrião em repouso, além de grande quantidade de células e material nutritivo para garantir a germinação.

As sementes têm origem a partir dos óvulos, formados nas flores.

As fanerógamas são divididas em dois grandes grupos:

3 - Gimnospermas

As gimnospermas são as primeiras plantas a produzirem flores (inflorescências) e sementes, porém não produzem frutos (grego = gymnos = nua, grego = sperma = semente) .

As gimnospermas mais conhecidas são os pinheiros, ciprestes e sequóias. No Brasil uma gimnosperma nativa é a araucária, também conhecida como pinheiro-do-paraná.


As flores da gimnosperma são chamadas de cones ou estróbilos.

Essas flores são de um só sexo, masculino ou feminino.

As gimnospermas estão mais adaptadas às regiões temperadas Chegam a formar vegetações como as taigas no Hemisfério Norte e a mata de araucária no sul do Brasil.

As sequóias são gimnospermas de grande porte e ocorrem na Califórnia (Estados Unidos). Essas plantas chegam a atingir 120 metros de altura e seus troncos podem chegar a ter diâmetro de 12 metros.

Estima-se que as sequóias atuais tenham aproximadamente 4000 anos de idade.

4 - Angiospermas

As angiospermaspossuem como característica exclusiva, a semente contida no interior de um fruto (grego angio = urna; sperma = semente). Por esse motivo são conhecidas como plantas frutíferas.

As angiospermas correspondem ao grupo de plantas com maior número de espécies sobre a Terra. Ocorrem em ampla diversidade de hábitats, existindo desde espécies aquáticas até plantas adaptadas a ambientes áridos, como os cactos.

Economicamente, as angiospermas representam uma fonte de inestimável importância para o homem. Seus órgãos, como raiz, caule, folhas, flores, sementes e frutos, podem servir de alimento para a população humana. Além disso, servem, também como fontes de matéria-prima para as mais diversas atividades humanas e industriais.

As angiospermas são divididas em dois grandes grupos: o das monocotiledôneas e o das dicotiledôneas.

A principal característica que permite distinguir esses dois grupos é o número de cotilédones presentes na semente. Os cotilédones são folhas modificadas que fazem parte do corpo do embrião e que podem armazenar nutrientes que serão fornecidos a ele durante os estágios iniciais de desenvolvimento. Como o próprio nome diz, nas monocotiledôneas há apenas um cotilédone por semente, enquanto nas dicotiledôneas há dois cotilédones por semente.

São exemplos de monocotiledôneas: Alho, cebola, aspargo, abacaxi, bambu, grama, arroz, trigo, aveia, cana-de-açúcar, milho, gengibre e palmeiras em geral: coco-da-baía, babaçu, etc.

São exemplos de dicotiledôneas: Vitória-régia, eucalipto, abacate, rosa, morango, pêra, maçã, feijão, ervilha, goiaba, jabuticaba, algodão, cacau, limão, maracujá, cacto, mamona, mandioca, seringueira, batata, mate, tomate, jacarandá, café, abóbora, melancia, etc.

A formação da semente

Nas angiospermas a fecundação se dá quando o núcleo masculino (proveniente do grão de pólen) e o núcleo feminino (oosfera, proveniente do óvulo) se encontram, formando o zigoto, ainda no ovário da flor.

O zigoto, uma célula simples, sofre então muitas divisões celulares e dá origem a um pequeno embrião, pluricelular.

O óvulo fecundado desenvolve-se formando então uma semente. Ela contém um embrião e substâncias nutritivas que o alimentarão quando a semente germinar.

A formação de uma ou mais sementes no interior de um ovário provoca o seu desenvolvimento e ele, crescendo muito origina um fruto, enquanto murcham todas as demais partes da flor.

Questões de fixação:

1) Quais os grupos em que se divide o Reino Plantae?
2) Quais os principais órgãos de uma planta e quais as funções?
3) Como se dá a condução de seiva na briófitas? Dê um exemplo de briófita.
4) Quais as plantas que fazem parte do grupo das pteridófitas?
5) Qual a principal característica das fanerógamas e em quais grupos ela se divide?
6) Como se caracterizam as gimnospermas e as angiospermas? Dê exemplos.
7) Qual o nome das flores das gimnospermas?
8) As angiospermas se subdividem em dois grupos; quais são eles? Dê exemplos.







quarta-feira, 22 de agosto de 2007

RESUMO: REINO FUNGI

REINO FUNGI

Principais representantes: bolores, cogumelos, orelhas-de-pau e leveduras (fermentos);

São eucarióticos, heterotróficos, a maioria filamentosos com algumas espécies unicelulares (as leveduras);

Existem aproximadamente 70 mil espécies;
acredita-se que o maior ser vivo existente hoje na Terra seja o fungo Armallaria ostoyae com idade estimada entre 400 e 1000 anos. Os filamentos deste fungo estendem-se por uma área de 6 milhões de metros quadrados, sob o solo de uma floresta norte-americana.

Organização Corporal

Fungos multicelulares são constituídos por filamentos ramificados – hifas. O conjunto de hifas formam o micélio.

Uma hifa é um tubo microscópico que contém o material celular do fungo.
A hifa pode ser:
  • Cenocítica: tubos contínuos sem divisões transversais, preenchidos por uma massa citoplasmática com centenas de núcleos.
  • Septada: apresentam redes transversais (septos) delimitando compartimentos celulares com um ou dois núcleos, dependendo do estágio do ciclo sexual.
Durante o processo de reprodução sexuada de muitas espécies de fungos surgem os corpos de frutificação, dos quais os cogumelos e orelhas-de-pau são os exemplos mais conhecidos.



Nutrição dos Fungos
  • Possuem nutrição heterotrófica e utilizam grande variedade de fontes orgânicas de alimento.
  • A maioria vive no solo alimentando-se de cadáveres de animais ou de plantas.
  • Outras espécies nutrem-se de matéria orgânica viva, causando doenças em animais e plantas e sendo responsável pelo apodrecimento de frutas e verduras.
Classificação do Reino Fungi
FILO CHYTRIDIOMYCOTA: unicelulares ou filamentosos (hifas cenocíticas). Apresentam flagelos em algum estágio do ciclo de vida. Ex.: Phytophthora infestans.
FILO ZYGOMYCOTA: Hifas cenocíticas. Formam esporos sexuados chamados zigósporos. Sem corpo de frutificação. Ex.: Rhizopus nigricans, um bolor negro do pão.

FILO ASCOMYCOTA: Hifas septadas. Formam esporos sexuados chamados ascósporos, em células especializadas chamadas ascos. Algumas espécies formam corpo de frutificação (ascocarpo ou ascoma). Ex.: Saccharomyces cerevisae (fermento de padaria ou lêvedo de cerveja).

FILO BASIDIOMYCOTA: Hifas septadas. Formam esporos sexuados chamados basidiósporos, em células especializadas chamadas basídios. Algumas espécies formam corpo de frutificação (basidiocarpo ou basidioma). Ex. Agaricus sp. (champignon).

FILO DEUTEROMYCOTA: Reúne fungos sem classificação definida, nos quais não se conhecem os processos sexuais de reprodução.
Importância Ecológica e Econômica dos Fungos
  • Decomposição da matéria orgânica
  • Produção de alimentos, bebidas e medicamentos
  • Produção de antibióticos e outras substâncias utilizados na indústria farmacêutica